São cada vez mais as horas de ponta acima das nuvens. A provar isso mesmo está o facto de este ano, a 29 de junho, se ter atingido o recorde de aviões que atravessaram a terra – 202.157 voos num único dia. Este número é só um dos indícios de toda a importância que hoje em dia paira sobre a temática da aviação, nomeadamente sobre a segurança. Foi sobre toda esta conjuntura e sobre os desafios que se aproximam que o professor Donizeti de Andrade, docente do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA),  veio falar esta quarta-feira, 5 de dezembro, ao Técnico. A palestra realizou-se no âmbito do lançamento do curso em Segurança de Aviação e Aeronavegabilidade Continuada, resultante de uma parceria entre o Técnico+ e  o ITA. Foi com muita simpatia e cargas de conhecimento que o docente do ITA presenteou e cativou a audiência que foi aumentando com o decorrer da sessão.

“A aviação é, sem dúvida alguma, uma atividade complexa e multidisciplinar”, começava por destacar o orador. Conduzindo a audiência por uma viagem no tempo que esclarecia o porquê do crescente peso que a aeronáutica foi assumindo desde o século XIX, o professor Donizeti de Andrade apontou alguns acontecimentos que marcaram e despoletaram esta atenção em torno da segurança na aviação. “A questão da segurança na aviação está sempre na agenda”, assinalou a determinada altura. “O acidente aéreo não tem perdão, vai para as primeiras páginas dos jornais imediatamente. O acidente de um avião comercial cria a comoção geral, mesmo que morra muito mais gente no trânsito, ou nos hospitais”, destaca ainda. Apesar de ir tocando em outras questões, a tónica da palestra acaba por regressar quase sempre à questão da segurança: “Quase 40% dos acidentes acontece na fase em que a aeronave está em pouso. As pessoas rezam, portanto, na hora errada”, brincava a determinada altura.

Evocando algumas estatísticas que iam prendendo a atenção da assistência, o professor Donizeti de Andrade apontou “a evolução da tecnologia como uma das principais causas do ritmo de desenvolvimento que se tem sentido na área, nomeadamente a automação da cabine de comando”. A ligação entre Aviação e Engenharia Aeronáutica – “hoje em dia cada vez mais uma engenharia de sistemas”, como ia frisando –, e as suas diversas dimensões foram também sendo abordados pelo docente. “Todos os processos são certificados na aviação, e de forma contínua”, enfatizava o orador, salientando importância da experimentação nesse processo: “Qualquer projeto aeronáutico sai com defeitos. Por isso é que é tão importante a fase de testes. É preciso interagir com o operador para testar e resolver os problemas”.

Foi depois então altura de voltar o foco para o futuro e os desafios que se avizinham. "O fator humano, ao contrário do que se acha, será cada vez mais preponderante”, disse, dando assim o mote para algo no qual tem uma imensa experiência: a formação profissional de recursos humanos para fortalecerem os quadros das empresas de aviação. Apresentando o curso que coordena no ITA há vários anos e através do qual já foram formados um total de 594 especialistas, apresentou a primeira edição do Diploma de Formação Avançada em Segurança de Aviação e Aeronavegabilidade, que será lançado em breve pelo Técnico+. “Os nossos objetivos passam por aprofundar as competências dos profissionais do setor nas suas interfaces, incentivar o desenvolvimento de uma abordagem científica e tecnológica, estimular novas linhas de investigação nesta área e permitir conhecimento sistemático das diversas dimensões da aviação”, vincava o docente. “Não tenho dúvidas que a formação é a uma das respostas para conseguir dar resposta a todas as necessidades presentes e futuras da aviação”, afirmava ainda o docente do ITA.

“Para além de ser direcionado para todos os profissionais já relacionados com a área direta ou indiretamente, este curso é também para aqueles que sonham trabalhar com a Aviação”, lançava por fim o professor Donizeti de Andrade, terminando da melhor maneira uma palestra que de tão rica que foi, por si só,  pode muito bem ter despertado esse gosto.

Para aceder à apresentação completa do professor Donizeti de Andrade, clique aqui.