Foi com o conhecimento, experiência e boa disposição do professor José Tribolet que os participantes da primeira edição do Curso de Especialização Profissional em Proteção e Segurança de Dados para Profissionais Não Tecnológicos foram recebidos no dia 22 de outubro. O curso com a duração de quatro dias é o primeiro de um lote diverso que o projeto Técnico+ disponibilizará.

“Em quatro dias vamos procurar que vocês interiorizem um conjunto de conceitos muito importantes e fundamentais para compreender de uma outra maneira as responsabilidades que um DPO (Data Protection Officer) tem e a olhar de forma diferente para as obrigações que os outros elementos das equipas têm”, começava por afirmar o professor José Tribolet, o formador que comandou o primeiro módulo do curso “Bases conceptuais fundamentais”. Sempre incitando à participação e exposição de ideias e dúvidas dos formandos, foram várias as vezes em que o docente do Técnico explicou que tal como este curso o intuito da engenharia passa “por tentar dar ferramentas às pessoas para que elas exerçam da melhor maneira o seu papel”.

O plano de formação permitiu aos formandos o contacto com um conjunto de conhecimentos estruturantes e fundamentais que vem robustecer as competências nas áreas da privacidade de dados e segurança da informação. Entre a exploração das infraestruturas de tecnologias de informação, a familiarização com as tecnologias relevantes no processamento e gestão de dados, foi possível aos profissionais tomarem conhecimento sobre algumas das vulnerabilidades que podem afetar a cibersegurança das organizações e ainda abordar planos de resposta a incidentes.

No final de tudo, e a escassas horas de terminar a jornada de aprendizagem e reforço de conhecimento, quisemos saber junto dos formandos o que os havia cativado para o curso e qual o nível de satisfação das expectativas. As respostas não podiam ter sido mais esclarecedoras e positivas. Lara Feio é formada em Engenharia e perante a hipótese de em breve trabalhar na área de proteção e segurança de dados não hesitou em escolher o curso do Técnico para cimentar os seus conhecimentos. “Vim de Braga de propósito para fazer estes cursos e não estou nada arrependida”, partilha a formanda. “Acho o curso uma mais-valia, muito denso ao nível do conteúdo, permitindo uma aprendizagem sobre os mais variados aspetos”, declara de seguida. Nuno Pereira partilha da mesma opinião acerca das vantagens inerentes a esta formação: “Valeu muito a pena. Acho que o curso é extremamente rico ao nível dos conhecimentos que fornece”, declara. “Prolongava talvez um pouco o programa para mais dias, para não se tornar tão intensivo e nos permitir digerir melhor tudo o que aprendermos”, refere posteriormente. “Enquanto DPO de um conjunto de entidades públicas e privadas acho extremamente relevante apostarmos neste tipo de formação, se tiver o selo de qualidade do Técnico ainda melhor”, rematou o formando.