Sabe-se que, nos dias de hoje, a competitividade de mercado cresce de forma exponencial, graças à crescente necessidade de inovação, tendo como “causas-raiz” o aumento das exigências do cliente e da customização dos produtos. Este fenómeno aplica-se tanto às empresas de produção e de engenharia, como também às empresas de serviços.

Para acompanhar esta tendência, não deverá ser necessário empregar mais pessoas ou comprar equipamentos topo de gama. A pergunta que se coloca é a seguinte:

 

Como utilizar os recursos existentes para responder às necessidades cada vez mais exigentes do mercado, garantindo simultaneamente a qualidade do produto e do serviço, e os custos reduzidos?

 

A filosofia Lean poderá ser a resposta.

Empresas como a Nike, a Intel, a Ford e, obviamente, a Toyota, utilizam a filosofia Lean no seu processo produtivo! Um microchip da Intel que, no passado demorava três meses a ser entregue ao cliente, é agora produzido em dez dias, garantindo a qualidade do produto através da implementação de indicadores de controlo da qualidade. Já a famosa Nike, envolvendo e valorizando todos os seus colaboradores, caminha para o objetivo de zero desperdícios na produção, utilizando as ferramentas Lean[1].

De que forma é o Lean pode ser o motor da mudança na sua empresa?

Geralmente, apenas 5% das atividades realizadas é que acrescentam valor ao produto final.

Com a implementação do Lean é possível alcançar +25% de redução do inventário. Matéria-prima em stock, work-in-process ao longo da linha e produto acabado em stock consistem, não só em material parado, como também em capital inutilizável.

Com os mesmos recursos é possível aumentar a produtividade para +75%. Trabalhar mais horas ou ter mais colaboradores não é a resposta. Deve-se trabalhar de forma inteligente!

O tempo de ciclo do produto, desde a encomenda até a entrega ao cliente, pode ser reduzido em -50% do tempo total. O cliente obtém o seu produto em menos tempo!

• Segundo James P. Womack, em “Lean Thinking: Banish Waste and Create Wealth in Your Corporation”, basta converter uma clássica produção por lotes por uma produção de One-Piece Flow, “puxada” pelo cliente, para duplicar a produtividade do sistema e, ao mesmo tempo, reduzir 90% do tempo total de produção e 90% do inventário.

 

As vantagens do Lean são claras, quer na indústria quer nos serviços! No entanto, a cultura da empresa é, muitas das vezes, a maior dificuldade para a implementação da filosofia Lean. Para quem trabalha na área da melhoria contínua, é habituar ouvir: “Se sempre se fez assim, porque vou alterar o meu método de trabalho?”. A resistência é natural, mas o segredo para a mudança de mindset está no envolvimento das pessoas.

Além disso, para adotar a filosofia Lean com sucesso na sua empresa, não basta atuar no Gemba (termo japonês para “local real, onde as coisas acontecem”). O Lean deve estar presente em todos os níveis da organização, começando pela direção, sendo essencial o compromisso top-down. 20% dos projetos Lean que são implementados nas empresas falham por desconhecimento da filosofia Lean e métodos de melhoria contínua.

Mais números em World Economic Forum e, em detalhe casos reais em empresas portuguesas.

Conclusão

É fundamental que todos os elementos das empresas conheçam os princípios e as ferramentas Lean, e que tenham o compromisso de as “pensar” e aplicar no dia-a-dia. É também fundamental que dominem as estratégias que permitem a sua implementação e consolidação, garantindo o envolvimento de todos. A exposição a casos práticos e a participação na resolução de casos é um dos caminhos recomendados para o aumento da maturidade Lean de cada um de nós e, por consequência, das organizações.

 

Autor: Paulo Peças | Professor do Instituto Superior Técnico

“Start somewhere and learn from experience” – John Shook.

Comece por aprender, e implemente uma mudança de cada vez.

 

» Saiba como aplicar a metodologia lean na sua empresa no Curso Lean em Serviços e Produção

 

[1] https://www.shmula.com/lean-manufacturing-top-10-lean-manufacturing-companies/23616/