A edição de 2019 da Web Summit contará com mais de 1.200 oradores, cerca de 2.100 startups, aproximadamente 1.500 investidores, mais de 160 países representados, 24 palcos, muita tecnologia e um ponto de paragem obrigatório ao longo dos três dias: o stand do Técnico.

Uma das bandeiras que será levada pela equipa, este ano, é a do Técnico+, a escola de formação avançada do Instituto Superior Técnico. “Fizemos esta escolha também porque queremos demonstrar que o Técnico pode acompanhar as pessoas ao longo de toda a sua vida e no fundo complementar a formação que já possuem”, realça a coordenadora da TT@Técnico, Carla Patrocínio.  A aproximação aos antigos alunos, às startups com ADN do Técnico, às empresas que integram a rede de parceiros e aquelas que potencialmente se podem vir no futuro a ligar à Escola são as restantes metas que a equipa do Técnico promete cruzar com sucesso. “Temos uma equipa muito bem estruturada, dividida em vários grupos orientados para cada um destes objetivos, e sem dúvida que ter alunos a reforçar a nossa equipa é uma mais-valia”, sublinha.

Também Catarina Carvalho, funcionária do Técnico+, não tem dúvidas da importância desta participação da instituição, e em particular para a escola de formação avançada "Vai ser bastante importante para nós porque é uma forma de nos darmos a conhecer". Apesar de ser uma forma de chegar a vários públicos, o foco serão as empresas presentes na cimeira tecnológica. “Queremos dizer às empresas que estamos aqui, não só para formarem os seus quadros, mas também para quem não tem conhecimentos nas áreas de engenharia e tecnologia as compreender melhor”, sublinha Catarina Carvalho.

Dois elementos da equipa do  Técnico+ estarão de forma permanente no stand, com muita informação para fornecer sobre estas formações, e dispostos a ouvir e formular ofertas mediante as necessidades das empresas. Para além disso, o Técnico + tem um desconto de 10% exclusivo para participantes da Web Summit, para tal nem é preciso passar pelo stand, bastando fazer o registo na Landing Page. Para além de permitir projetar o Técnico+, esta participação é, para Catarina Carvalho, uma forma de “perceber o que é que se está a fazer no mundo, quais é que vão ser as próximas tecnologias emergentes, em que é que as empresas estão focadas nesta altura e quais é que vão ser as apostas no futuro”.  Este conhecimento será depois extremamente útil no enriquecimento do tipo de cursos que o Técnico+ oferece, percebendo também a melhor forma de chegar às empresas.