Últimas Notícias

Esta questão já é velha de algumas décadas, apesar de toda a informação institucional (de organismos internacionais credíveis como a Organização Mundial da Saúde e o ICNIRP) indicando a ausência de efeitos prejudiciais.